INÍCIO / MEDIA / TODAS AS NOTÍCIAS / DESFECHO CRUEL
Mais um episódio na maldição caseira
 
 

2/22/2020
DESFECHO CRUEL
Mais um episódio na maldição caseira



Ainda não foi desta. O CD Tondela perdeu este sábado 1-2 no João Cardoso frente ao Rio Ave FC e, ao 11º jogo em casa, não conseguiu quebrar o que mais parece ser a maldição dos jogos no nosso reduto.



Frente a um conjunto vila-condense confiante e a passar, muito possivelmente, pelo melhor momento da época, a equipa beirã treinada por Natxo González apresentou três alterações em relação à derrota nos Açores com o regresso à titularidade de Moufi, Filipe Ferreira e Pité.



Num primeiro tempo em que as despesas do encontro pertenceram ao Rio Ave, a segunda parte trouxe um Tondela a crescer com os minutos e sempre mais do último terço vila-condense, no entanto aos 74 minutos foram os oponentes a adiantarem-se no marcador.



Ultrapassada a malapata dos penáltis… mas em vão



Atrás no resultado, o CD Tondela soube reagir e fez algo que ainda não tinha feito esta época, chegar ao empate numa partida em que começara a perder. Nota ainda mais reforçada para o facto deste empate, que ocorreu aos 83 minutos, ter acontecido na sequência de uma grande penalidade. É verdade, depois de quatro remates falhados da marca dos 11 metros, desta feita João Pedro desfez a malapata e repôs a igualdade.



No entanto à beira do minuto 90, num lance de insistência do Rio Ave, o conjunto de Vila do Conde chegou de novo ao golo e garantiu os três pontos num desfecho duro e cruel para os auriverdes que fizeram mais que o suficiente para, pelo menos, conseguir um ponto.



Com esta derrota, a segunda consecutiva, os beirões prolongam o histórico cada vez mais negativo, mantendo os 24 pontos quando estão jogadas 22 jornadas na Liga NOS.



A equipa treina este domingo pela manhã para iniciar, desde já, o processo de recuperação, arrancando depois na terça-feira a preparação para a deslocação a Guimarães no próximo domingo, 1 de março, para defrontar o Vitória SC.



Reação pós-jogo: Natxo González



É duro, é mais duro assimilar a derrota de hoje, acho que foi demasiado cruel. Por isso, o Rio Ave tem 36 pontos e nós 24. Em momentos muito pontuais foram decisivos, nas duas, três vezes que atiraram à nossa baliza.



Estivemos bem com bola, pressionámos alto, que era o que queríamos, mas sofremos. Criámos ocasiões [de golo] e também estivemos muito melhor. Conseguimos empatar e depois sofremos um golpe duro. Tenho a sensação que merecíamos mais e não podemos permitir que nos fujam os pontos desta forma, mas o jogador dentro do campo toma decisões, adquire um compromisso, uma responsabilidade e há coisas que me escapam das mãos”.



Ficha de jogo:



Estádio João Cardoso, Tondela



Assistência: 1859 espectadores



Árbitro: Manuel Mota



CD Tondela: Cláudio Ramos, Moufi, Ricardo Alves, Philipe Sampaio, Filipe Ferreira (João Reis, 23’), Jonathan Toro (Valente, 79’), João Pedro, Jaquité, Xavier, Ruben Fonseca (Richard Rodrigues, 70’), Pité;



Suplentes: Babacar Niasse, Jota, João Reis, Pedro Augusto, Jhon Murillo, Valente, Richard Rodrigues;



Treinador: Natxo González.



Rio Ave FC: Kieszek, Nélson Monte (Gelson Dala, 67’), Santos, Borevkovic, Matheus Reis, Diego, Tarantini, Al Musrati, Nuno Santos (Messias, 90’+3’), Mehdi e Piazon (Carlos Mané, 45’+1’);



Suplentes: Paulo Vítor, Diogo Figueiras, Pedro Amaral, Messias, Bruno Moreira, Carlos Mané, Gelson Dala;



Treinador: Carlos Carvalhal.



Disciplina: Nada a assinalar



Marcador:



0-1 Gelson Dala, 74’



1-1 João Pedro, 83’ (pen)



1-2 Gelson Dala,